Coluna do Márcio por Márcio Staggemeier

A Fundamental Ilusão de Recomeçar

Mário Quintana dizia: “Bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça…”

Acho que a frase dá a ideia exata de quão importante são estes recomeços que nos são permitidos a cada 365 dias. É essa a ilusão que necessitamos para tocar o barco em frente? Pois que a tenhamos, e que ótimo que ela nos é permitida.

Salve quem nos proporcionou a sempre volta do 1º de janeiro – o princípio das resoluções, das promessas, das dietas.

Viver torna-se muito mais leve à medida que temos a miragem de que o tempo é cíclico, maquiando sua verdadeira ação e evitando escancarar que, na realidade, ele passa impiedosamente.

Por natureza, sou pouco da razão e muito do sentimento. Sou do feeling, do lúdico, sou músico, fantasio, me emociono e sorrio com coisas simples.

Mesmo que o último de dezembro seja igual ao primeiro de janeiro, a prova de que precisamos da ilusão do constante recomeço é que este acontecimento é um propulsor da nossa vida, das nossas relações e de nossa evolução pessoal.

Aí está: que os recomeços sirvam além de tudo para que possamos evoluir como seres humanos. Que melhore nossa educação, que nos tornemos mais gentis e corteses, sobretudo mais tolerantes. Não nos preocupamos (mesmo sem cumprir) com a nossa saúde corporal? Pois que tenhamos mais interesse por bons conteúdos para a nossa mente, que é só nossa e nela colocamos exatamente o que bem entendemos, seja isso bom ou ruim. Que tenhamos mais vontade de alimentar nossa alma e que nossa presença de espírito, bom humor e elegância de atitudes e sentimentos faça-se mais evidente.

Bom ano novo a todos.